Insegurança

Um dia me peguei a perguntar o que gostaria de fazer com minha vida, os rumos que ela estava tomando, os caminhos e os lugares seguidos. Tentei pensar em como teria a resposta de que estou indo para o lugar certo, se as decisões tomadas vão me favorecer.

Parei para observar que aquela não era a primeira vez em que eu me fazia as mesmas perguntas e que a insegurança martelava minha mente, em como eu tento pensar em arrumar as ideias embaralhadas e qual sentido essas ideias fazem.

O panico e o medo tomaram conta da mim como uma escuridão num dia chuvoso e frio, quando o vento bate e faz aquele barulho assustador. O barulho são meus pensamentos e o frio a minha mente, a chuva sou eu, eu sou o medo, sou também a vontade de correr, sou o desespero, sou meu próprio monstro, sou minha assombração, sou eu encolhida buscando abrigo, sou eu a escuridão.

E como modificar a situação se o que me assusta está dentro de mim, faz barulho, não quer sair, se alimenta dos meus bons pensamentos e vomita lapsos ruins de memórias que eu mesma criei. Me faz pensar em desistir de tudo que estou tentando ter, desistir das pessoas que me fazem bem, desistir de mim.

E por falar naqueles que me fazem bem, me vem a sensação de que não faço nada de bom a essas pessoas, pelo contrário, olha quantas coisas ruins minha instabilidade trouxe a elas. E se elas forem embora? O que eu vou fazer se não tiver eles por perto? “SEJA UMA PESSOA MELHOR” eu tento ser uma pessoa melhor, mas o meu monstro não deixa, ele me segura em boas ações, me diz a verdade sobre meu eu, me faz ter a certeza de que não sou capaz de conseguir.

Estou tentando conseguir por eles, tentando lutar por eles, permanecer por eles, me encontrar por eles, para que consiga achar um sentido e tudo fazer sentido pelo menos no modo de agir com eles. Minha vida, meus penamentos eu já desisti de tentar alinhar por mim. Vivo por eles.

 

Viviane Aguiar

Anúncios

Detalhes

Nas coisas mais simples estão os mais verdadeiros modos de amar. Não são palavras, mas sim gestos do cotidiano que dirão o que você sente, quem você realmente é. O amor é expressado de forma involuntária, sem alarmes, sem chamar atenção, sem alardes. O amor está nos atos mais imperceptíveis; calmo e manso são os atos daqueles que sabem amar e que as vezes nem sabem que amam.

Refletindo sobre a vida, percebi que nada pode ser levado tão a sério a não ser nossos sentimentos. E só nós mesmos podemos alterar isso com força e determinação. Não é válido esperar dos outros um caminho para se sentir menos sozinho, mais amado, mais feliz. É válido achar em si o amor que as outras pessoas não souberam cuidar.

A preocupação em demonstrar o amor é a pior forma de amar. A pessoa descobre sozinha que está sendo amada, ou nem percebe mas sente no fundo do seu coração, mesmo que esse fundo esteja escondido. Não tente estampar o seu amor a cada palavra, se torna enfadonho e repetitivo.

Pedir o amor de alguém é a pior forma de ser amado. Não se pode cobrar sentimentos que não são verdadeiros, não dê amor esperando algo em troca. Não se jogue aos pés implorando afeição. Implore respeito das pessoas e tenha amor próprio. Para ser amado, ame-se primeiro.

Antes de querer amor, ame as pessoas. Você recebe o que planta; plante o amor para que ele seja colhido em seu jardim da vida. Talvez essa colheita não te agrade no começo, porque o amor pode ser colhido de outras formas. Talvez você amou uma pessoa e recebeu em troca o amor de outra, mas amor por amor, tudo é amor e é o melhor sentimento do mundo.

Sorria para seu vizinho, ajude sua avó a carregar as compras, ajude um colega de escola ou de trabalho, mande uma mensagem inesperada para alguém, não julgue as pessoas, dê bons conselhos ou se cale se não há nada de bom para falar… são esses detalhes que mudam nossas vidas.

Se o mundo tivesse mais amor, talvez seria tão melhor. O amor muda as pessoas de uma forma tão devastadoramente boa, esse sentimento é capaz de alterar e salvar um coração frio e cinzento que está a beira da morte emocional, sem rumo e sem esperança. Espalhe o amor aos poucos e ensine as pessoas a seu redor a amar. Com um pinguinho de amor, podemos sim mudar o mundo.

VOLTEI!!!

Olá pessoal!

20170206_162001
(fotinha ao natural)

Talvez vocês nem se lembrem de mim, fiquei um bom tempo por fora. Mas venho dizer para vocês que estou oficialmente de volta ao blog e preparando muita coisa legal para compartilhar com vocês!

Mas antes vou explicar um pouco da minha ausência. Para isso vamos voltar um pouco no tempo, 2015 foi um ano bem bosta para mim, tipo o pior da minha vida. Fui traída por pessoas que até então eu considerava importantes na minha vida, me deparei com a vida adulta e todas as dificuldades que tenho em tomar decisões e me enfiei em uma depressão.

Nesse período me senti completamente sozinha, perdi o prazer pela vida e todas as certezas que eu tinha se transformaram em dúvidas e eu perdi todos os objetivos. Foi duro e o ano de 2016 foi um ano de recuperação, onde aos poucos fui voltando ao ser o que eu era.

Então eu e a Vivi que conversamos bastante, ela foi umas das pessoas que me acompanharam nesse período, tivemos a ideia de fazer o blog para distrair, desabafar, fazer amizades. Ai eu me animei, vi videos, criei canal, blog, textos, ideias… MAS chegou o final do ano, tive peça, prova, briga, matrícula, confusão, decisões… e agora em 2017 consegui me organizar, preparar novos posts, voltar a estudar e ser a Mylena de antes só que em versão mais forte e determinada.

Eu estou de volta gente!!! E cheguei para ficar!

Um beijo no coração! ♥

Mylena Ribeiro